jusbrasil.com.br
2 de Dezembro de 2020
    Adicione tópicos

    Segurança Pública

    A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Goiás, presidida pelo deputado Major Araújo (PRB), realizou, na manhã desta quarta-feira, 15, audiência pública para discutir a jornada de trabalho e os planos de carreira vigentes na Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás. O evento, que marcou o Dia de Luta pela Valorização do Militar Goiano, aconteceu no Auditório Solon Amaral. Compuseram a mesa além do deputado Major Araújo; os deputados Mauro Rubem (PT), Helio de Sousa (DEM) e Álvaro Guimarães (PR); o comandante-geral da Polícia Militar, Edson Costa Araújo; e o comandante-geral do Corpo de Bombeiro Militar, Carlos Helbingen Júnior. Antes do início do evento, Major Araújo contou que a jornada de trabalho mínima do militar hoje é de 44 horas semanais, mas que não existe uma jornada máxima. Há policiais que trabalham 16 horas por dia, destacou. O deputado contou que apresentou na Assembleia um projeto que fixa a jornada de trabalhos desses profissionais em 40 horas semanais. Comandante-geral da Polícia Militar, Edson Costa Araújo revelou a determinação do Governador Marconi Perillo (PSDB), em instalar um canal de comunicação entre as instituições militares para tratar de diversos assuntos referentes ao setor. O Governador quer fazer o melhor governo para o Estado, por isso tenho que fazer o melhor comando para a Polícia Militar, destacou. Já o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, Carlos Helbingen Júnior, afirmou que ultimamente tem assistido uma evolução muito grande da carreira militar. Neste sentido o comandante reforçou a política do governo estadual em investir na qualificação de pessoal e de condições de trabalho dos militares, com equipamentos e valorização do profissional. É uma prioridade do nosso Governador essa valorização, mas precisamos separar o que queremos daquilo que podemos, comentou. Também participou da audiência a psicóloga Christine Ramos Rocha, que relatou ter acompanhado de perto a rotina diária e escalas extras dos militares. Segundo ela, a questão psicológica assume importância vital para o policial, porque qualquer erro praticado por ele refletirá diretamente em suas ações. Também esteve presente no Auditório Solon Amaral o deputado Mauro Rubem, que disse estar junto a todas as ações em favor da melhoria das condições de trabalho dos militares. O parlamentar falou também sobre o Plano Nacional de Segurança Pública e condenou a atitude de transformar a greve dos militares na Bahia em algo criminoso. O deputado ainda levantou a necessidade de promover mudanças no modo de investimento em segurança pública. O deputado Helio de Sousa (DEM) afirmou acreditar que este é o momento que a população tem aguardado, ou seja, é a época de provocar mudanças a fim de atingir o bem comum. Temos que provocar o diálogo, que é uma das principais armas para se alcançar o objetivo de se legislar para o bem do povo, ressaltou. O parlamentar falou também que tem acompanhado o comando do Coronel Edson Araújo e revelou saber da sua determinação em buscar o melhor para a segurança pública do Estado. O deputado Álvaro Guimarães, que também esteve presente ao encontro, colocou sua disposição para lutar e apoiar as demandas que forem levantadas pela Comissão de Segurança Pública. O Governo tem feito o possível para promover as melhores mudanças possíveis. Tenho certeza de que não temos a realidade que sonhamos, mas posso dizer que o trabalho para isso está sendo desenvolvido, disse. Ao encerrar a audiência, Major Araújo agradeceu a presença de todos e destacou a importância do diálogo para a busca de soluções para os desafios da Polícia e da sociedade.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)