jusbrasil.com.br
28 de Março de 2020

Agronegócio

Teve lugar na sala do presidente da Casa, deputado Jardel Sebba (PSDB), às 14 horas desta terça-feira, 31, o lançamento da Frente Parlamentar do Agronegócio. O evento contou com a presença dos parlamentares Valcenôr Braz (PTB), Karlos Cabral (PT), José de Lima (PDT), Wagner Siqueira (PMDB), Hildo do Candango (PTB), Sônia Chaves (PSDB), Francisco Júnior (PMDB) e Iso Moreira (PSDB), além do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária e Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, e do secretário de Estado da Agricultura, Antônio Flávio Camilo de Lima.

A Frente Parlamentar do Agronegócio já colheu aproximadamente 23 assinaturas. O número poderá chegar a 27 durante a sessão ordinária desta terça-feira, quando serão lidos, em Plenário, os nomes de todos os parlamentares que apoiam a iniciativa.

Fortalecimento

O presidente Jardel Sebba abriu as conversações, discorrendo sobre a importância da criação da frente. A causa é muito nobre. Afinal, o agronegócio é essencial ao nosso Estado.

Fazendo coro ao tucano, o deputado Valcenôr Braz afirmou que a criação da frente representa uma oportunidade para a organização da defesa do agronegócio na Assembleia Legislativa. O agronegócio responde, hoje, por 60% do PIB goiano, e por 37% do PIB nacional. Precisamos ter, na Assembleia, um ponto de apoio para a defesa e divulgação do agronegócio goiano, afirmou.

Na opinião do presidente da Faeg, José Mário Schreiner, que falou em seguida, a frente é um exemplo para o Brasil. A frente vai ajudar no apoio às discussões sobre o agronegócio no Parlamento, inclusive na discussão de temas transversais que envolvam, inclusive, várias Comissões Temáticas. A frente representa não apenas os interesses dos produtores, mas também de toda a população, e do Estado de Goiás, declarou.

O secretário de Estado da Agricultura, Antônio Flávio Camilo de Lima, afirmou que a iniciativa reflete a maturidade do Legislativo goiano. É essencial que haja uma defesa da agricultura e da pecuária, especialmente em um Estado como o nosso, avaliou.

Meio Ambiente

O deputado Wagner Siqueira, presidente da Comissão de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Casa, destacou a relação do agronegócio com a comissão temática que lidera. Ninguém depende mais do meio ambiente do que o agropecuarista, afirmou. Já Francisco Júnior elogiou o caráter suprapartidário da iniciativa. As diferenças existem, mas vamos trabalhar para que possamos dirimi-las ao longo da caminhada. O trabalho da frente tem tudo para ser um sucesso, acredita.

O petista Karlos Cabral falou sobre a possibilidade de estreitar ainda mais o diálogo entre Goiás e o Governo Federal, no que se refere ao incremento do agronegócio no Estado. Estou muito à vontade em fazer parte desta frente, justamente porque minha região, o Sudoeste goiano, deve sua pujante economia ao agronegócio, afirmou.

Os deputados Sônia Chaves, Hildo do Candango, Iso Moreira e José de Lima também manifestaram preocupação com o agronegócio goiano, reafirmando seu apoio à criação da nova frente parlamentar.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)