jusbrasil.com.br
28 de Março de 2020
    Adicione tópicos

    171 anos da Polícia Civil

    A Assembleia Legislativa, por iniciativa do deputado Marcos Martins (PSDB), celebrou os 171 anos da Polícia Civil de Goiás, em sessão especial na manhã desta sexta-feira, 10, no Plenário Getulino Artiaga. Ao lado do deputado Marcos Martins e Ademir Menezes (PSD), que presidiu a sessão, compusem a Mesa as seguintes autoridades: o delegado-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski, representando o governador Marconi Perillo (PSDB); o deputado federal João Campos (PSDB); o chefe do Estado Maior da Polícia Militar de Goiás, coronel Victor Dragalzew; o coordenador do projeto do Entorno do Distrito Federal, promotor de justiça Bernardo Boclin Borges; e o chefe de gabinete, delegado Antônio Carlos de Lima, representando o presidente da Agência Goiana do Sistema de Execução Penal, delegado Edemundo Dias de Oliveira. Compuseram a Mesa, ainda, o superintendente executivo da Secretaria Estadual de Segurança Pública, coronel Edson Costa de Araújo; o presidente da Associação dos Delegados da Polícia Civil de Goiás, delegado Waldson de Paula Ribeiro; o presidente da União Goiana dos Policiais Civis, Ademar Luiz de Oliveira; presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás, Silveira Alves de Moura; presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Goiás, delegado Fábio Alves de Castro. Também formaram a mesa os assessores parlamentares Renato Rassi, representando o senador Cyro Miranda (PSDB), e Paulo Carneiro, representando o senador Wilder Morais (DEM). Em seu discurso, o Marcos Martins reconheceu a importância da Polícia Civil do Estado, como integrante de uma relevante e essencial atividade: a segurança pública. O parlamentar enfatizou que os altos índices de violência que vêm sendo apresentados, tanto no que se refere aos homicídios, quanto latrocínios, furtos, roubos, tráfico de drogas, crime organizado, têm provocado extrema preocupação e medo. Esse cenário requer da sociedade organizada, bem como do Estado, por meio de seus três Poderes, uma união de esforços, de modo a minimizar consideravelmente essas estatísticas e podermos vencer o crime, destacou. Marcos Martins lembrou que o trabalho da Polícia Civil é desempenhado por meio de diversas áreas, na elucidação da materialidade e autoria dos delitos. Sendo assim, segundo ele, seus servidores têm realizado um magnífico trabalho investigativo, atuando no serviço de inteligência da Polícia que, por sua vez, está sendo cada vez mais estruturado e especializado. Ao fim, Marcos Martins se comprometeu como parlamentar a apresentar propostas legislativas que visem, não somente aperfeiçoar as atividades de segurança pública e a criação de políticas públicas, como também valorizar a carreira. Em seguida, ele citou uma fala do secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Fernando Grella Vieira, ao qual ele destacou que o policial simboliza o Estado 24 horas por dia, sete dias por semana. Porém, isso é pouco, pois o policial é o Estado. Essa é uma grande verdade. O policial tem todo este significado e valor e eu me orgulho por integrar essa tão nobre instituição, concluiu. Em nome da instituição, o diretor-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski discursou e fez menção ao acidente com o helicóptero da Polícia Civil de Goiás, que matou oito pessoas no município de Piranhas. Esse trágico acidente, no qual perdemos nossos amigos, completou um ano nesta quarta-feira, 8. O delegado destacou que a instituição já esteve presente na Casa em outras oportunidades para receber vários reconhecimentos por meio de homenagens. Em seguida, destacou o trabalho do deputado Marcos Martins (PSDB), autor da iniciativa, caracterizado como parceiro da lida policial. Hoje voltamos a viver mais um momento emblemático da nossa história. Somos cobrados a todo momento pela sociedade. Apesar de todas as dificuldades, temos o maior número de crimes solucionados e podemos dizer que, em Goiás, o crime não compensa, disse.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)